GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

quarta-feira, 12 de julho de 2017

REAÇÕES

POLÍTICOS REAGEM À CONDENAÇÃO DO EX-PRESIDENTE LULA
JUIZ SÉRGIO MORO CONDENOU LULA A NOVE ANOS E SEIS MESES NO CASO DO TRIPLEX. FOTO: RICARDO STUCKERT

JUIZ SÉRGIO MORO CONDENOU LULA A NOVE ANOS E SEIS MESES NO CASO DO TRIPLEX

Após o juiz Sérgio Moro anunciar a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão, diversos políticos expressaram suas opiniões sobre o assunto. A sentença trata do processo de compra e reforma do triplex do Guarujá (SP). Lula poderá recorrer em liberdade.
Confira o que falaram alguns:
Álvaro Dias (PR), senador líder do Podemos ca Câmara, classificou a condenação como histórica e mostra que a Justiça é igual para todos, inclusive para ex-presidentes. “Lula é o principal responsável pelo grande escândalo de corrupção no país. Uma condenação esperada, fruto do trabalho da Lava Jato e de Sérgio Moro”, comentou.
O deputado Arnaldo Jordy (PA), líder do PPS na Câmara concordou com a decisão de Moro e afirma que as evidências de fato apontavam que o triplex pertencia a Lula. “É certo que Lula vai recorrer. Vamos aguardar a confirmação da sentença por outras instâncias da Justiça brasileira, a mesma que hoje vem atingindo outras esferas da República, que condenou ouras pessoas de vários partidos”, disse.
Para o deputado Nilton Tatto (PT-SP) a condenação é uma perseguição para impedir o ex-presidente à concorrer ao cargo de Presidente da República no ano que vem. “A única prova é um contrato sem assinatura e um recibo de pedágio. Já as investigações sobre outros, com provas concretas e com mala de dinheiro, não seguem adiante”, afirmou.
Carlos Zarattini (PT-SP), líder do partido na Câmara, concordou com Tatto e comentou a falta de fundamento da decisão de Moro. “Ele está na frente de todas as pesquisas”, comentou.
A presidente do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), criticou a decisão de Moro por meio de nota e disse que “de nada adiantou” a defesa produzir provas de inocência do ex-presidente. “Lula é um patrimônio do povo brasileiro, um ícone da história nacional e será defendido com garra e decisão por todos os que sonham com um Brasil justo”, disse.
O líder do DEM na Câmara, deputado Efraim Filho (PB), disse que a condenação é uma lição didática para o cidadão brasileiro e mostra que foi o tempo em que os poderosos não enfrentavam a Justiça. “A condenação de Lula significa o fortalecimento do combate à corrupção e à impunidade”
Gleisi Hoffman (PR), senadora e presidente nacional do PT, disse que Moro condenou sem provas. “Sérgio Moro prestou contas aos meios de comunicação e à opinião pública que formou contra Lula. Vergonhoso”, concluiu.
O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que a justiça foi feita. “Depois de ter levado o Brasil à maior crise da história e deixar 14 milhões de desempregados, o Lula, maior cara de pau do Brasil, foi condenado. Parabéns ao juiz Sergio Moro, parabéns ao povo brasileiro, parabéns ao Brasil”.
José Guimarães (CE), deputado e líder do PT na Câmara se mostrou solidário ao ex-presidente. “Quero expressas toda a minha solidariedade ao Presidente Lula condenado pelo juiz Sérgio Moro de forma injusta e sem que fossem apresentadas as devidas provas. Uma condenação extremamente política e como tal deve ser denunciada. Este é o memento de mobilizar o país em defesa de Lula, da democracia e do estado de direito. Qualquer tentativa de tirar o ex-presidente da disputa eleitoral de 2018 é um duro golpe na democracia, tendo em vista que ele lidera todas as pesquisas de intenção de votos. Lula é inocente e nele eu confio!”.
Presidente do DEM, senador José Agripino (RN) apresentou posicionamento favorável à sentença de condenação. "A sentença do juiz Sérgio Moro, além de ser inédita como condenação a um ex-presidente, é consequência de um longo e maturado processo de investigação marcado pelo amplo contraditório".
Paulo Bauer (SC), senador e líder do PSDB no Senado comemorou a decisão de Moro. “Ninguém está acima da lei, e a lei foi feita para ser cumprida por todos os cidadãos brasileiros. Agora evidente, que a Justiça Federal do Paraná, ao analisar as evidências e os fatos do processo, decidiu pela aplicação de uma penalidade e não o faria sem ter segurança de estar fazendo o que é correto e o que é legal. Certamente, é uma decisão que coloca o ex-presidente numa condição da qual precisa recorrer e vai fazê-lo, mas não poderá se declarar inocente, porque culpado ele é e a penalidade já está estabelecida”.
O deputado Wadih Damous (PT-RJ) comentou sobre a sentença e disse que não haverá dificuldade para o TRF da 4ª Região reverter a sentença. “Do ponto de vista legal, essa sentença não vale nada. Moro não agiu como juiz. Agiu como justiceiro. Ele não ouviu as testemunhas de defesa do ex-presidente. Moro não proferiu uma sentença. Ele redigiu uma peça de acusação", disse.

Diario do Poder

Nenhum comentário:

Postar um comentário