GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

CAMPEONATO BRASILEIRO

Náutico sai na frente, mas sofre virada nos acréscimos e sai em desvantagem na semifinal

Com derrota em Caxias do Sul, Timbu terá que vencer por dois gols de diferença para chegar á final da Série C (Foto: Léo Lemos/Náutico)


Timbu fazia boa partida contra o Juventude até sofrer o empate aos 24 minutos do 2º tempo e depois a virada, em cobrança de falta, já aos 49


Se na semana passada, o Náutico conseguiu o maior alívio da temporada aos 50 minutos do segundo tempo, ao empatar o jogo com o Paysandu e conseguir o acesso à Série B nos pênaltis, nesse domingo, foi a vez dos acréscimos foram cruéis com os alvirrubros. 

Apesar de fazer uma boa partida na maior parte do tempo contra o Juventude, no estádio Alfredo Jaconi, no jogo de ida da semifinal da Série C, o Timbu acabou derrotado por 2 a 1, com o gol da virada gaúcha ocorrendo aos 49 minutos da etapa final.

Com o resultado, o Náutico terá que vencer o jogo de volta, no próximo domingo, por dois gols de diferença para alcançar a decisão. Triunfo por diferença de apenas um gol leva a decisão para os pênaltis. Qualquer outro resultado favorece o Juventude.  

O jogo

Para a partida, entre jogadores suspensos, vetados e que deixaram o time por opção, o técnico Gilmar Dal Pozzo mandou a campo uma equipe bastante modificada com relação a que entrou em campo para a decisão do acesso, no domingo passado, diante do Paysandu. Entre as novidades, a presença de Fernando Lombardi na zaga, Jhonnatan no meio de campo e Neto Pessoa no ataque, com Álvaro passando a desempenhar o papel de centroavante. E entre acertos e erros, o Náutico acabou fazendo um bom primeiro tempo.

Passada a pressão pela luta do acesso, as duas equipes entraram em campo com uma intensidade de jogo nitidamente inferior ao das quartas de final. E por estar jogando fora de casa, melhor para o Náutico que a exceção de dois chutes de fora da área, um deles de Renato Cajá, na trave, passou poucos sustos. 

Ao mesmo tempo, sem o nervosismo dos dois jogos contra o Paysandu, o jogo ofensivo do Timbu voltou a fluir com mais naturalidade. Com a bola quase sempre passando nos pés do meia Jean Carlos. E melhor distribuído em campo, e com um trio de frente de maior mobilidade, o Timbu abriu o placar, de forma merecida, aos 36 minutos. 

Após boa jogada individual, Jhonnatan levantou na área para Álvaro, como um centroavante ajeitar e depois, sem deixar a bola cair, tocar na saída do goleiro Marcelo Carné. O desempenho do ataque poderia ser ainda melhor, caso Neto Pessoa fosse mais participativo em campo. Das novidades da escalação, o de desempenho mais fraco.

Virada no segundo tempo

Na volta para a etapa final, Dal Pozzo tirou do time Camutanga, que recebeu o terceiro cartão amarelo e com isso está suspenso para o jogo de volta, para a entrada de Rafael Ribeiro. Além de se precaver quanto a uma possível expulsão, o treinador dava assim, ritmo de jogo a todos os seus zagueiros.

Mudança que não mudou a postura do Náutico em campo. Organizado em campo, o Timbu seguiu controlando a partida e por pouco não ampliou com um golaço. Aos 16, no lance mais bonito do jogo, Jean Carlos lançou Matheus Carvalho que, de fora da área, tentou por cobertura. Marcelo Carné fez excelente defesa.

Logo em seguida, Dal Pozzo sacou o apagado Neto Pessoa para a entrada de Jimenez. A ideia era reforçar ainda mais a marcação, mas sem perder força ofensiva, com Jhonnatan ganhando mais liberdade para atacar. Era a hora do contra-ataque.

Senhor da partida, o Náutico perdeu a melhor chance de ampliar aos 23 minutos, com Jean Carlos cruzando para Álvaro, na pequena área, mandar no travessão. O castigo veio na forma de um velho ditado do futebol. Quem não faz…

No minuto seguinte, em primeira descida do Juventude ao ataque no segundo tempo, a defesa alvirrubra ficou parada e Gabriel Poveda, sozinho, tocou na saída de Jefferson para empatar o jogo. A igualdade no placar empolgou os donos da casa que pela primeira vez, durante toda a partida, conseguiu pressionar. E conseguiu a virada no último lance do jogo. Com requintes de crueldade. 

Aos 49 minutos, em uma cobrança de falta na entrada da área, Eltinho mandou no travessão, mas a bola voltou nas costas de Jefferson e morreu no fundo das redes.  

Ficha técnica

Juventude 2
Marcelo Carné; Vidal, Genílson, Sidimar e Eltinho; João Paulo, Aprille e John Lennon (Dener); Renato Cajá (Rafael Bastos), Dalberto e Breno (Gabriel Poveda). Técnico: Marquinhos Santos. 

Náutico 1
Jefferson; Hereda, Camutanga (Rafael Ribeiro), Fernando Lombardi e William Simões; Josa, Jhonnatan e Jean Carlos; Neto Pessoa (Jimenez), Álvaro (Wallace Pernambucano) e  Matheus Carvalho. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Gols: Álvaro, aos 36 min do 1º tempo; Gabriel Poveda, aos 24 min, e Eltinho, aos 49 min do 2º tempo
Cartões amarelos: Camutanga, Jefferson (N), Genilson (J)

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário