GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

SANTA CRUZ - CAMPO DE GRAMA SINTÉTICA

Santa Cruz estuda possibilidade de utilizar grama sintética no campo 3 do CT

Ninho das Cobras só tem um campo operacional (Foto: Marina Curcio/Esp. DP Foto)


João Caixero revela planos de fazer o terceiro campo do Ninho das Cobras com grama sintética e falou sobre projeto governamental milionário


O CT Ninho das Cobras é, de muito tempo, um sonho e uma promessa do Santa Cruz. Hoje, o terreno em Aldeia já dispõe do primeiro campo e já é utilizado pelo elenco profissional, mas ainda não tem a cara de um Centro de Treinamento. Com contínuas obras, o CT viu, na última semana, o encerramento da drenagem do segundo campo, mas o planejamento já está além com visões do terceiro campo, que poderia ter grama sintética, e de obras de construção civil. 

Com apenas um campo pronto e sendo utilizado, o presidente do Conselho Patrimonial do Santa Cruz, João Caixero, condicionou os cálculos do terceiro campo à entrega do segundo, que, nas palavras dele, estaria à disposição entre o final de novembro e o início de dezembro. A ideia de utilizar grama sintética também foi alertada pelo presidente.

"Para o terceiro, nós estamos com o projeto idealizado, não tem nada escrito, é idealização apenas, de fazer o campo de grama sintética, para que a gente tenha um menor custo de manutenção operacional. O custo de manutenção do campo de grama é muito grande, muito alto, nós temos adubo, nós temos irrigação, nós temos que ter preparo de arranque de ervas daninhas (...) A gente imagina que o terceiro campo venha a ser, realmente, condicionado à grama sintética, que é mais caro, muito mais caro, tem que ter um investimento muito alto, mas em compensação dá uma manutenção bem mais baixa que o campo de grama".

Caixero também revelou a existência de um projeto no valor de R$ 2,42 milhões na Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania. Já aprovado, o Santa Cruz precisa de uma contrapartida de R$ 240 mil no Imposto de Renda para liberar esses valores, que seriam aplicados integralmente nas obras de construção civil do CT. Segundo Caixero, o prazo do projeto encerra em dezembro, e que o clube precisa garantir esse aporte até lá para ter acesso ao valor.

"Nós temos um projeto aprovado pela Secretaria Especial do Esporte com R$ 2,42 milhões para ser liberados. Mas para liberar esse valor, eu tenho que ter um aporte de R$ 240 mil. Nós fizemos uma campanha para Imposto de Renda, de empresas e de pessoa física e já cortamos de conta R$ 74 mil (...) Então é no vestiário, é no alojamento, é no departamento médico, é na construção civil. Nós já temos aportados R$ 74 mil em uma conta bloqueada vinculada, só sai para a construção. E estamos no mercado, estamos com consórcio, com conselheiros, com empresas comercial, que tem capitanias de tricolores para que façam esse investimento no Imposto de Renda dedicado ao CT".

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário