GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

sábado, 23 de maio de 2020

SPORT - TRANQUILIDADE NA ILHA

Após Jean Patrick, vice jurídico não teme novas saídas: 'Só queremos quem compre a briga'

Leão tem vivido com dificuldades financeiras (Foto: Anderson Stevens/ Sport Club do Recife )


Segundo Manoel Veloso, clube já esperava e, inclusive, calculava dificuldades financeiras para início do primeiro semestre, mas pandemia agravou


Há duas semanas, o volante Jean Patrick entrou uma ação na justiça pedindo rescisão indireta do contrato por débitos em atraso, pegando o Sport de surpresa. No entanto, possuindo dívidas com o atual elenco na temporada o Leão se diz tranquilo e diz não temer outras notificações. Pelo menos foi o que afirmou o vice-presidente jurídico rubro-negro, Manoel Veloso. De acordo com o dirigente, o clube só conta com quem ‘compra a briga’ da entidade. 

"Não tememos por dois motivos: quem quer sair é bom porque não estava conosco. E segundo eu não vou forçar ninguém a ficar. Só acho que a situação financeira difícil hoje não é apenas do Sport. Quem não tiver interesse em comprar a briga, porque vamos ter um ano difícil, seja feliz”,  disse, ponderando. “Não estou dizendo que é para trabalhar sem receber, mas vai haver dificuldade para pagamento. Mas vamos cumprir”.

Risco inicialmente calculado
De acordo Manoel Veloso, o Sport tinha ciência e calculou as dificuldades financeiras no começo de 2020, algo, conforme explica, necessário para o retorno à elite nesta temporada e que iria perdurar até o fim do primeiro semestre, quando o clube começasse a receber a cota de TV da Série A - por débitos com a Globo, que detém os direitos, o Leão sofreu descontos. 

“No fim do ano passado quando a gente precisava de um sprint final, antecipamos algumas coisas para arcar com isso e subir. Então a gente sabia que teríamos dificuldade em janeiro e fevereiro, estava na planificação do ano. Sabíamos também que em maio, quando o dinheiro da Série A começasse a entrar, estaríamos com uma folha e meia devendo, no máximo duas. E aí conseguiríamos pagar tudo e em junho normalizava tudo”, revelou.

No entanto, por conta da pandemia do coronavírus, que assola o futebol brasileiro desde a segunda quinzena de maio, a situação saiu do controle. “As receitas começaram a cair de patrocinador e tudo. E o Pay-per-view sustou o pagamento substancialmente. Então o plano da gente em dever pouco, virou dever muito”. Atualmente, o Sport tem em aberto com o elenco os meses de março e abril.

Ainda de acordo com o diretor, o elenco rubro-negro confia na gestão do clube por conta da postura no ano passado, como relata. “A esmagadora maioria dos nossos jogadores entenderam que a gente honra com nossos compromissos. Devemos alguma coisa de premiação mas salário a gente pagou 99%”.

Jean Patrick
Sobre o pedido de rescisão do volante alegando três meses de salários, Manoel Veloso afirmou que foi soube da informação pela imprensa e o clube não vai fazer objeção. “No momento que ele entra na justiça, paciência. A gente só tem interesse que fique no clube quem quer comprar a briga. Entendo o jogador pedir para sair, mas se ele chega para gente e fala que está insatisfeito, iríamos liberar sem dificuldade. Faríamos um parcelamento”, finalizou. 

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário