GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

NÁUTICO - CORONAVÍRUS

Após crescimento de casos de Covid-19, Kevyn aponta para aumento de cuidados no Náutico

'Sabemos da dificuldade do campeonato que estamos enfrentando e vamos batalhar até o final', salientou (Foto: Caio Falcão/CNC)


Timbu pode ter até cinco desfalques por causa da doença em jogo contra a Ponte Preta, em Campinas, no próximo domingo, às 16h


Depois da pausa de final de ano, em plena reta final da Série B, a Covid-19 chegou com força ao elenco do Náutico. Nos três primeiros jogos de 2021, o Timbu teve seis desfalques entre jogadores e mais as ausências do técnico Hélio dos Anjos e seu auxiliar, Guilherme, todos testando positivo nas duas primeiras semanas do ano.  

Assim, com o crescimento do número de infecções pelo coronavírus, o lateral Kevyn apontou que o elenco alvirrubro tem sido ainda mais cuidadoso para evitar novos possíveis casos e, consequentemente, desfalques nos últimos quatro jogos do torneio. 

“A gente sabe que, infelizmente, no mundo inteiro é algo que não dá mais para se controlar, mas a gente tem tomado todas as precauções, temos seguido os protocolos da melhor maneira possível. A gente não sabe quando que acontece o contágio, mas estamos nos cuidando bastante para conseguirmos ter o menor número possível de casos, até mesmo nenhum, para poder termos força máxima no restante da competição”, contou. 

Para o próximo jogo, diante da Ponte Preta, no domingo, às 16h, no estádio Moisés Lucarelli, o Timbu não terá o lateral Hereda e os atacantes Vinícius e Álvaro, que testaram positivo antes do jogo contra o América-MG. Outros jogadores afastados por Covid-19, Ronaldo Alves e Djavan tem pouca possibilidade de retornar, uma vez que completariam os 10 dias de isolamento exigido na véspera da partida contra a Macaca. 

Adversário em crise
Próximo rival do Náutico na Série B, em jogo válido pela 35ª rodada, a Ponte Preta também tem sofrido com adversidades nesta reta final da Série B. Se está livre de casos de Covid-19, a Macaca vem sendo flagelada pelos atrasos de salário, que motivaram protesto dos atletas, se negando a treinar, na última quarta-feira, na reapresentação do elenco. De acordo com Kevyn, esses fatores negativos não irão influenciar em nada na postura alvirrubra no jogo. 

“Acho que não favorece nada, até porque cabe a nós fazer nosso papel. Isso não vai mexer nada para a gente. Vamos focados, trabalhando para fazer o melhor resultado possível. Temos trabalhado no jogo a jogo. Todos temos falado que cada jogo é decisão, final. Temos o mesmo discurso porque sabemos da dificuldade do campeonato que estamos enfrentando. E se tivermos que lutar até a última rodada para tirar o Náutico dessa situação, vamos batalhar até o final”, concluiu. 

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário