GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

sexta-feira, 22 de abril de 2022

CRITICANDO O STF

Marco Aurélio critica medidas do STF contra Daniel Silveira


Ex-ministro disse que tornozeleira eletrônica fixada no deputado é “difícil de conceber”

O ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello criticou decisões da Corte contra o deputado Daniel Silveira em evento na terça-feira (19) do Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais). Segundo ele, algumas medidas foram “um obstáculo muito sério de desrespeito à imunidade parlamentar”. 

“Vejo, no processo crime alusivo ao deputado federal, um obstáculo muito sério de desrespeito à imunidade, como, por exemplo, a tornozeleira que lhe foi imposta. Não foi como pena, foi uma medida cautelar a um congressista. É difícil de conceber”, declarou.

Daniel Silveira foi condenado na quarta-feira (20) pelo STF por declarações contra os ministros da Corte. A pena foi fixada em 8 anos e 9 meses de prisão, em regime inicial fechado. A Corte também decidiu pela cassação e perda de direitos políticos, o que pode levar a inelegibilidade.

Marco Aurélio ainda criticou o ex-presidiário  Luiz Inácio Lula da Silva(PT). Para ele, o petista erra ao defender a regulação da mídia e por sua intenção de revogar a reforma trabalhista. 

“Penso que um candidato que se diz de um partido dos trabalhadores já cogitou uma marcha à ré quanto à reforma implementada. Como também cometeu um ato falho quando disse que nós, da classe média, temos mais do que merecemos. Como também cometeu um ato falho quando cogitou o controle da mídia. Como controlar a mídia? Só se quisermos ter no Brasil uma visão totalitária, maior do que a que se diz que pode estar a reinar no cenário hoje em dia”, afirmou. 

Desde que foi solto, em novembro de 2019, o Lula já falou publicamente ao menos 9 vezes sobre regular os meios de comunicação –seja os tradicionais, seja a internet. É uma pauta recorrente de setores da esquerda, principalmente do PT. Ao dar as declarações, o petista se aproxima de seu eleitorado mais fiel.

Sobre a reforma trabalhista, Lula disse que, se for eleito presidente da República, vai promover uma nova reforma. Em encontro com sindicalistas na última semana, o petista também defendeu mudanças na legislação tributária brasileira.

Não adianta falar: ‘Vamos mudar tudo e voltar ao que era antes’. Não! Nós nem queremos o que era antes. Nós queremos melhorar as coisas. Nós queremos adaptar uma nova legislação trabalhista à realidade atual”, disse Lula. “A gente não quer voltar para 1943, a gente quer fazer um acordo em função da realidade dos trabalhadores em 2023, 2024, 2030”, disse Lula na ocasião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário