GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

quinta-feira, 20 de julho de 2023

NÁUTICO - SEM LESÃO

No Náutico, Vagner alcança maior sequência de jogos desde a grave lesão que quase o aposentou dos gramados

Vagner foi titular em 37 partidas pelo Náutico neste ano (Foto: Tiago Caldas/CNC)


Goleiro sofreu grave contusão no joelho em 2019; em entrevista a podcast, jogador revelou ter cogitado aposentadoria


O bom momento no Náutico carrega um significado especial para o goleiro Vagner. O jogador alcançou, no Timbu, a maior sequência de jogos desde a grave lesão que o deixou de fora dos gramados por três anos. Titular incontestável, o arqueiro já fez 37 jogos pelo Alvirrubro nesta temporada - superando as 18 partidas que realizou pela Chapecoense após retornar da contusão, em 2022.

Lesão precoce
 
Em entrevista ao Cast FC, Vagner comentou sobre o momento mais delicado da carreira. O goleiro tinha acabado de chegar na Chapecoense, em abril de 2019, e fazia apenas sua segunda partida pelo time catarinense, contra o Corinthians, quando desabou no gramado sentindo fortes dores após torcer o joelho saindo do gol. A torção resultou em uma lesão no menisco e no rompimento do ligamento cruzado anterior.
 
Intervenções cirúrgicas

Entre 2019 e 2021, o goleiro passou por três procedimentos cirúrgicos no mesmo joelho. Foram dois anos e onze meses até conseguir voltar aos gramados. Durante o longo período de recuperação, as sucessivas cirurgias, que pareciam não trazer melhora, fizeram com que Vagner quase desistisse da carreira e pendurasse as chuteiras.
 
- Eu a voltei treinar (após a primeira cirurgia), e rompi o ligamento cruzado novamente, estirei o enxerto (usado para tratar lesões no ligamento) durante a primeira semana de treinos. Fiz a cirurgia, voltei a treinar e já estava quase começando ir para os jogos, aí durante uma dividida no treino, estirei o enxerto de novo. Como a gente já tinha feito duas cirurgias, fizemos o tratamento conservador. Aí tratei com fisioterapia tudo, mas quando acabava o treino, o joelho inchava. Aí beleza. Fisioterapia, gelo, ficava quatro horas após o treino lá fazendo o tratamento pra poder aguentar treinar no outro dia. E quando acabava o treino, o joelho inchava de novo. - iniciou.
 
- Eu ia aposentar. Cheguei pro doutor e falei pra só operar o joelho pra eu ter qualidade de vida pra poder brincar com meus filhos. Porque eu chegava em casa e não conseguia nem subir a escada pra brincar com meus filhos. Eles escolhiam brincar de bola dentro de casa e eu não conseguia com meu joelho inchado. - disse o goleiro.
 
Os inchaços diários no joelho fizeram com que Vagner fosse submetido a uma terceira cirurgia na região. Um procedimento cirúrgico mais completo desta vez.
 
- Na última cirurgia eu fiz cartilagem, menisco cruzado, colateral lateral… Fiz praticamente um joelho novo. Fiz três cirurgias no mesmo joelho. Aí graças a Deus nessa última cirurgia a recuperação foi a melhor que eu tive. Porque nas outras duas (cirurgias), o joelho ficava travando, ficava bloqueando e me limitava. E nessa última cirurgia o joelho ficou mais solto, eu consegui ganhar musculatura na coxa e consegui ganhar força. - completou.
 
Retomada da carreira
 
O mês de abril de 2022, marcou a chegada do momento mais aguardado por Vagner ao longo dos três anos de recuperação. O goleiro voltou à meta da Chapecoense no empate com o Ituano, na Série B do ano passado. O arqueiro foi titular nas primeiras 18 rodadas do campeonato, sendo peça importante para livrar o Alviverde do rebaixamento.
 
- O pessoal falou “se você estiver bem, você começa jogando”. Comecei a treinar, estava treinando bem. Aí graças a Deus na primeira rodada estava bem, comecei jogando e consegui jogar dezoito jogos no ano passado. - finalizou o arqueiro.

Agora, vivendo a maior sequência de jogos desde a lesão, com 37 partidas pelo Náutico, Vagner busca coroar as temporadas perdidas enquanto se recuperava da contusão adicionando mais uma conquista à prateleira, o acesso para a Série B com o Timbu.

DP

Nenhum comentário:

Postar um comentário