GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

domingo, 23 de julho de 2023

QUEREM A VERDADE

Caso Moraes: Suspeitos querem acesso às imagens do aeroporto

Alexandre de Moraes Foto: Carlos Moura/SCO/STF


Defesa pretende solicitar material às autoridades italianas visando "paridade de armas"



A defesa da família Mantovani, suspeita de atacar o ministro Alexandre de Moraes em aeroporto de Roma, planeja pedir às autoridades italianas acesso às imagens da confusão registradas pelas câmeras do local.

Segundo o advogado Ralph Tórtima, é necessário que ambas as partes do processo tenham direito ao material a fim de assegurar a “paridade de armas”. Ele afirma temer não ter acesso ao conteúdo tão logo que ele seja disponibilizado às autoridades brasileiras.

 – Se o governo brasileiro está empenhado em obter provas no interesse daqueles que se dizem vítimas de ofensas ou agressão, igual direito têm os supostos autores. É justo que ambas as partes recebam o material, em igual tempo, podendo analisá-lo na sua plenitude – declarou Tórtima, segundo informações do portal Metrópoles.

Ele também detalhou que já pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) acesso às imagens que tramitam nos autos e diz estar aguardando uma decisão nesse sentido.

– É muito importante que haja respeito à chamada “paridade de armas”, permitindo que a defesa também receba, com agilidade, cópia das imagens fornecidas pela Itália – completou.

A polícia italiana entregou, nesta quinta-feira (20), imagens gravadas pelo circuito interno de TV do aeroporto à Adidância da Polícia Federal na Itália. É necessário, porém, a autorização de autoridades do país para transferir o conteúdo para o Brasil por meio do canal de cooperação jurídica das duas nações.

O CASO
Na última sexta (14), Moraes teria sido hostilizado e agredido pelo casal Roberto Mantovani Filho e Andréa Munarão, durante uma confusão ocorrida no Aeroporto Internacional de Roma, na Itália. Ainda, o genro do casal, Alex Zanatta, teria se juntado aos dois nos xingamentos contra o magistrado.

Moraes estava acompanhado de seus familiares. O ministro retornava da Universidade de Siena. Lá, ele palestrou no Fórum Internacional de Direito.

De acordo com a defesa dos Mantovani, a discussão começou depois de uma confusão por falta de vagas em uma sala vip do aeroporto da capital italiana. Ainda segundo o advogado, Roberto admitiu ter dado um “empurrão” no filho do ministro para defender a esposa que, supostamente, havia sido ofendida. Apesar disso, Roberto nega que tenha ocorrido agressão.

Thamirys Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário