GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

sexta-feira, 4 de agosto de 2023

GREVE DOS METROVIÁRIOS

Apesar de determinação do TRT-6, metroviários continuam greve

Estação Recife fechada por causa da greve - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco


Tribunal determinou 60% da frota no horário de pico e descumprimento pode gerar multa de R$ 60 mil por dia



greve dos metroviários da Região Metropolitana do Recife chega ao segundo dia, nesta sexta-feira (4), e os profissionais não trabalharam apesar da determinação do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT-6) de manter 60% da frota em horários de pico e 40% nos outros períodos. O descumprimento da medida gera multa de R$ 60 mil por dia.

A Estação Central do Recife, no bairro de São José, área central da capital pernambucana, amanheceu sem muita movimentação de passageiros. Alexsander Freire (foto abaixo), autônomo, foi até o local para saber se teria metrô hoje, mas foi surpreendido.

“Essa situação prejudica totalmente a população, porque eu acho que deveriam tomar alguma posição sobre isso. Essas greves são sem fundamentos, porque não melhoram em nada, principalmente para a população, que vive a mercê dos empresários. Os vagões defasados, falta de segurança e ninguém pega os ladrões. Quem está saindo prejudicada em tudo é somente a população”, afirmou.

A categoria vai participar de uma tentativa de conciliação às 15h desta sexta-feira, na sede do TRT-6. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) deve participar da reunião.

Ricardo Rodrigues, que trabalha como locador de veículos, na Imbiribeira, se surpreendeu com as portas fechadas, na Estação Joana Bezerra. Por causa disso, ele, assim como muitos passageiros, teve que demandar alguma linha de ônibus.

“De metrô, eu levaria 15 minutos [para chegar ao trabalho], já de ônibus vou demorar mais de meia hora. Geralmente, eu pego às 8h. Isso só complica a vida do cidadão, um absurdo”, desabafou.

Alexandre Neves, vendedor, definiu os transtornos causados pela greve como ‘via crucis’ e apontou os defeitos do sistema.

“Os metroviários estão há muito tempo sem aumento, assim como outros trabalhadores, que necessitam de um aumento anual. O metrô está sucateado, não investe em pessoal e ainda corre o risco de privatização que, no meu ponto de vista, não será um bom negócio. Sem contar que quando chove, as estações parecem uma cachoeira”, finalizou.

A reportagem da Folha de Pernambuco entrou em contato com o presidente do Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (SINDMETRO-PE), Luiz Soares, que disse não ter sido notificado da decisão do TRT-6 de manter parte da frota em horários de pico e demais períodos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário