GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

quarta-feira, 11 de outubro de 2023

VIOLÊNCIA

Com média diária de 9 assassinatos, estado enfrenta aumento no número de crimes

Em setembro deste ano, foram registrados 311 assassinatos. Se comparado com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 40%. No mesmo mês de 2022, foram 222 casos. (Rafael Vieira/Arquivo DP)

Em setembro deste ano, foram registrados 311 assassinatos. Se comparado com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 40%. No mesmo mês de 2022, foram 222 casos

Nove assassinatos por dia em Pernambuco. Essa é a média de homicídios na série histórica de dados contabilizados este ano no estado, entre janeiro e setembro.

O site oficial da Secretaria de Defesa Social (SDS) aponta o registro de mais de 2.600 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em 273 dias.

Em setembro deste ano, foram registrados 311 assassinatos. Se comparado com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 40%. No mesmo mês de 2022, foram 222 casos.

No comparativo entre o total de assassinatos de janeiro a setembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2022, o aumento foi de 3,3%.

Nos nove primeiros meses deste ano, aconteceram 2.625 homicídios. No mesmo período do ano passado, foram 2.540. O estado fechou o ano de 2022 com o total de 3.418 assassinatos.

Em meio aos números de assassinatos, o Governo de Pernambuco ainda não colocou em prática, de fato, o programa "Juntos pela Segurança", aguardado pela população.

Ele faz parte do programa de segurança pública e foi lançado pela governadora Raquel Lyra (PSDB) no final de julho. A solenidade reuniu diversas autoridades da segurança pública. No entanto, até esta terça (10), o pacote de ações ainda não foi detalhado pelo Executivo Estadual.

Vale lembrar que, em menos de dez meses de gestão, a segurança pública trocou de comando. A delegada federal Carla Patrícia Cunha deixou a SDS e foi substituída pelo delegado federal Alessandro Carvalho, que também liderou a pasta na gestão do PSB, que comandou Pernambuco por 16 anos.
Em meio ao aumento da criminalidade, nesta quarta-feira (11), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, vêm a Pernambuco para anunciar ações para o reforço na segurança no estado.
 
A ideia é lançar bases de duas ações do governo federal, que são: o Plano de Ação na Segurança (PAS) e o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci 2). 

A solenidade, que contará com a presença da governadora Raquel Lyra, ocorrerá na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR), às 10h.
 Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), as duas iniciativas são executadas pela União por meio de cooperação com os estados e têm o objetivo de fortalecer a segurança pública.

Avaliação da segurança 

A reportagem do Diario de Pernambuco entrevistou a coordenadora-executiva do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), Edna Jatobá.
 
Considerada uma das principais defensoras da promoção dos Direitos Humanos no estado, ela avaliou a situação da crescente onda de violência em Pernambuco refletida nos  números de assassinatos no estado.

"A gente desconfia de várias altas camadas sobre postos que podem estar contribuindo com o aumento da violência letal. Entre elas está a maior circulação de armas de fogo, que elas tanto podem contribuir com o aumento de crimes de proximidade, quanto podem contribuir com o aumento de confrontos em operações policiais. Estamos há nove meses, quase um período de uma gestação, sem ter nenhum plano de segurança e vivência no Estado", destacou Edna Jatobá. 

Ainda segundo ela, a escalada da violência no estado é um reflexo da ausência de um maior gerenciamento integrado entre as forças de segurança pública no estado somado com o atraso no plano de segurança, que culmina no aumento dos índices de assassinatos.
 "Não temos uma coordenação geral, um plano agressivo, então fica tudo muito frouxo. Fica tudo dentro da atuação ou discricionariedade de quem está dentro da compreensão do que se deve fazer. Então se não existem objetivos nítidos, com indicadores também nítidos e transparentes, como reduzir?", criticou Jatobá. 

O que diz o Governo do Estado?
 
A reportagem do Diario procurou a assessoria de imprensa da Secretaria de Defesa Social (SDS) na sexta (6), para levantar os dados da série histórica de homicídios, além de saber quando haverá o anúncio do detalhamento do Plano Estadual de Segurança e Defesa Social.
Nesta terça (10), a redação entrou em contato novamente para buscar respostas, entretanto, até a publicação desta matéria, não houve retorno por parte da pasta.

Por: Wilson Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário