GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

quinta-feira, 18 de janeiro de 2024

CONDENAÇÃO

Homem que estuprou e matou mulher em Glória do Goitá é condenado a mais de 43 anos de prisão

Edson Cândido Ribeiro foi condenado por homicídio, furto e estupro                                                                                                                                                                                 - Foto: Reprodução/Polícia Civil de Pernambuco (PCPE_


Crime aconteceu no mês de janeiro de 2022; jurados acataram integralmente a tese do Ministério Público de Pernambuco



Edson Cândido Ribeiro, acusado de ter matado duas mulheres em Glória do Goitá, na Zona da Mata de Pernambuco, foi condenado a 43 anos e oito meses de prisão em regime fechado, em julgamento nesta quarta-feira (17), presidido pelo juiz da Vara Única de Glória do Goitá, Gabriel Araújo Pimentel. O júri popular levou em consideração apenas o caso que teve a estudante Jailma Muniz da Silva como vítima, à época com 19 anos. 

Os jurados acataram integralmente a tese do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), condenando o homem por estupro, furto e homicídio triplamente qualificado, sendo as qualificadoras: motivo torpe, meio cruel e utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Jailma foi estuprada e morta em janeiro de 2022, quando saiu de casa para levar alimentos e café para a mãe e o irmão, que estavam trabalhando em uma área de lavoura do Sítio Cueiras. Ela fazia esse percurso diariamente.

Há a suspeita de que no mesmo dia, Edson Cândido Ribeiro tenha tentado estuprar outras duas mulheres nas áreas próximas, antes de encontrar Jailma.

O corpo da vítima foi achado sem vida, com marcas de ferimentos por arma branca, em uma área de mata e difícil acesso.

“Lázaro de Pernambuco”
Edson Cândido Ribeiro se entregou à polícia depois de oito dias de buscas. Foi formada uma megaoperação entre policiais e moradores da região. As buscas foram reforçadas com helicópteros, drones e sensor de calor. 

Por conta disso, o homem foi apelidado de “Lázaro de Pernambuco”, em alusão ao caso envolvendo o assassino em série Lázaro Barbosa de Sousa, morto em um cerco policial, após ser procurado pelas autoridades por 20 dias, em Goiás. No mês de junho de 2021, o homem matou quatro pessoas da mesma família em uma chácara na região administrativa de Ceilândia, no Distrito Federal (DF).

Participaram das buscas por Lázaro equipes das polícias Civil e Militar de Goiás e do Distrito Federal, da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DF) e do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO). 

Segunda vítima
Edson Cândido Ribeiro também é o principal suspeito de ter matado Kauany Mayara Marques da Silva, sua ex-companheira. Ela, que tinha 18 anos, foi dada como desaparecida no dia 29 de janeiro de 2022, sendo encontrada sem vida no dia 1º de fevereiro daquele ano, dentro de um bueiro em uma área de vegetação em Glória do Goitá, já em estado avançado de decomposição. 

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), "os autos da ação penal onde ela figura como vítima de crime de feminicídio,  foram remetidos à instância superior (TJPE - 2° Grau) para apreciação do Recurso em Sentido Estrito, interposto pela defesa do acusado Edson Cândido Ribeiro”.

Por Ana Beatriz Venceslau

Nenhum comentário:

Postar um comentário