GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

domingo, 11 de fevereiro de 2024

CARNAVAL TRANQUILO

Sem ‘saidinhas’ no carnaval, Zema diz que criminosos em MG não têm vez

Governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo).


Governador mineiro destaca que, em seu estado, os bandidos cumprem pena atrás das grades


Cerca de um mês após ter um policial militar assassinado por um criminoso beneficiado pela libertação provisória prevista em lei, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), voltou a exaltar, na noite de ontem (9), que presos não terão o benefício da chamada “saidinha” de unidades prisionais mineiras, neste carnaval. E concluiu que “criminosos em Minas não têm vez”, ao citar seu veto às “saidinhas”, que não interferem nas liberações determinadas pela Justiça.

Zema justificou que a medida de seu governo visa garantir mais segurança, seja na folia, na tranquilidade ou na oportunidade de trabalhar com dignidade. “Aqui bandido cumpre pena atrás das grades”, garantiu o governador.

Em Minas, a suspensão da “saidinha” será restrita aos casos em que a marcação da saída seria feita pela unidade prisional, com base em critérios previsto na Lei de Execuções Penais. A legislação prevê 35 dias de liberdade anuais, divididos em cinco saídas de sete dias, para presos com bom comportamento no regime semiaberto. O objetivo é reinserir condenados ao convívio social, com visitas a familiares em feriados, saídas para exercer atividades de trabalho e frequentar cursos. Mas grande parte dos casos resulta em fugas e ou cometimento de crimes.

Em janeiro, Zema condenou a inércia do Congresso Nacional em não extinguir a legislação que permite a “saidinha” de presos condenados por crimes, como no caso do bandido que atirou na cabeça do do sargento Roger Dias, 29, durante perseguição policial na capital mineira, Belo Horizonte, na noite de 5 de janeiro.

“Leis ultrapassadas podem tirar a vida de mais um policial em Minas. Bandidos com histórico de violência são autorizados para “saidinha”, que resulta em insegurança pra todos brasileiros. Passou da hora disso acabar. A mudança tá parada no Congresso. Até quando?”, criticou Zema, que rivaliza com o presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

A decisão de Zema de suspender as saidinhas em Minas foi anunciada um dia após a Comissão de Segurança Pública do Senado aprovar por unanimidade o projeto de lei que prevê o fim do benefício para detentos em regime semiaberto em datas comemorativas.

Outra medida contra criminosos em liberdade que será testada neste carnaval pelo governo de Zema é um sistema moderno de reconhecimento facial, que cruzará informações do banco de imagens do sistema de gestão prisional do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen) com as imagens captadas por seis novas câmeras de longo alcance e de alta definição instaladas em duas carretas do Centro Integrado de Comando e Controle Móvel (CICC Móvel).

Davi Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário