GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

sexta-feira, 8 de março de 2024

JUSTIÇA

STJD define data do julgamento do Sport pelos ataques ao ônibus do Fortaleza

Sede do STJD, no Rio de Janeiro (Foto: DIVULGAÇÃO)


Leão já vem cumprindo punição preventiva e está sem poder contar com o apoio do seu torcedor nos estádios


Após duas semanas dos ataques ao ônibus do Fortaleza, o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) definiu a data do julgamento do Sport. Será no dia 12 de março, próxima terça-feira, às 10h, na sede da entidade, no Rio de Janeiro.

Os rubro-negros responderão pelo artigo 213 do CBJD, com ênfase no inciso 1, que diz o seguinte: "Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: desordens em sua praça de desporto".

Vale lembrar que o Leão já vem cumprindo punição preventiva e não pode receber torcedores em competições organizadas pela CBF desde 23 de fevereiro, tanto atuando como mandante, quanto como visitante. Como ainda não jogou em casa neste período, o Sport só foi penalizado nos duelos longe do Recife, contra o Trem-AP (Copa do Brasil) e Altos-PI (Copa do Nordeste).

Porém, como a pena máxima para esta medida cautelar são 10 jogos, estes confrontos já entrarão na contagem se os pernambucanos, de fato, forem punidos em definitivo pelo STJD.

Caso o pior cenário ocorra, os rubro-negros jogarão sem torcida contra o Murici, pela Copa do Brasil, Náutico, ABC Juazeirense, pela fase de grupos da Copa do Nordeste, além das rodadas iniciais da Série B. Caso avance para o mata-mata do regional, o clube também deve perder a vantagem de atuar com o mando de campo e ter o estádio vazio.

NINGUEM FOI PRESO AINDA:

Já se passaram duas semanas desde que os jogadores do Fortaleza passaram por um dos atentados mais violentos do futebol brasileiro nos últimos anos. Seis jogadores tricolores acabaram atingidos. O pior caso foi o lateral-esquerdo uruguaio, Escobar, que sofreu um trauma cranioencefálico. Apesar da repercussão nacional, ninguém ainda foi preso.

Um homem chegou a se entregar para a Polícia, mas por falta de provas, foi surpreendentemente liberado. Em paralelo ao ocorrido, o Sport rompeu ligações com a torcida organizada que promoveu os ataques. Entre as ações previstas estão a proibição do uso de faixas, bandeiras e roupas do referido grupo na Arena de Pernambuco.

O presidente do clube, Yuri Romão, também se reuniu com membros do Governo de Pernambuco e foi convidado a participar de uma conversa com o presidente da Assembleia Legislativa (ALEPE) para estudar medidas pra reduzir a violência.

A Polícia Militar, no entanto, segue sem prestar atualizações sobre as investigações do ocorrido e afirmou que segue trabalhando. Sem ver respostas, a Federação Cearense de Futebol já analisa a possibilidade de proibir a presença da torcida do Sport em partidas no território cearense. 

Haim Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário