GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

segunda-feira, 6 de maio de 2024

E O POVO QUE SE LASQUE

Diante de tragédia no RS, Lula e Eduardo Leite trocam farpas

Lula e o governador Eduardo Leite Foto: PR/Ricardo Stuckert


Gestão petista não gostou das cobranças do governador gaúcho



A atuação dos governos do Rio Grande do Sul e federal diante da tragédia climática em diversos municípios gaúchos ao longo da última semana tem causado até mesmo troca de farpas entre o governador Eduardo Leite (PSDB) e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Um dos principais motivos do embate tem sido o esforço empregado pelo governo petista no resgate de pessoas no estado.

Na noite da última quinta-feira (2), por exemplo, Leite fez um apelo para que as Forças Armadas continuassem com as operações de resgate no estado ao longo da madrugada. Dentro do governo Lula, porém, a mensagem não foi muito bem recebida e correligionários do petista defenderam que os militares atuaram dentro do limite de segurança até as 22h.

– Eu estou aqui apelando, rogando, estou em contato com o general que comanda essa operação e confiamos nas nossas Forças Armadas é que havendo condições climáticas, no limite do possível, estejam sendo empregados esses helicópteros nessa noite e nessa madrugada crítica – disse o governador.

Na sexta (3), Lula enviou então um recado direto ao governador gaúcho. Na ocasião, o petista disse que não deixaria faltar recursos para recuperar o estado do Rio Grande do Sul dos estragos causados pelos recentes temporais e afirmou que os 37 ministros de seu governo estavam à disposição para ajudar.

— Queremos transmitir aos familiares nossa solidariedade, ao povo gaúcho a nossa solidariedade e voltar a afirmar ao governador do estado que o governo brasileiro, o governo federal, e seus 37 ministros, estaremos à disposição para tentar ajudar o estado do Rio Grande do Sul – declarou.

Além disso, ao comentar sua ida ao estado, Lula afirmou que apesar de não conseguir “enxergar um palmo à frente do nariz” por conta das más condições climáticas, convocou uma comitiva para assumir publicamente o compromisso de recuperar os estragos.

O sentimento dentro do Planalto a respeito da troca de farpas era de insatisfação com o tom adotado por Eduardo Leite em relação ao governo federal. De acordo com o jornal O Globo, o entorno do presidente Lula entendeu que a relação ficou tensionada e que as cobranças eram indevidas.

Paulo Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário