GIF Patrocinador

GIF Patrocinador

domingo, 26 de maio de 2019

SÓ ACONTECE NO BRASIL

Em Brasília, servidores ganham bolada de até R$545 mil em um mês

O governador do DF, Ibaneis Rocha, que doa todos os meses o próprio salário, talvez não saiba, mas três aposentados embolsaram em março R$531 mil (um defensor público), R$543 mil (tenente coronel da Polícia Militar) e R$545 mil (coronel da PM). A bolada saiu a título da infame pecúnia, na “venda” de licenças-prêmio de servidor público que se aposenta. Só DF e Acre obrigam o pagador de impostos a sustentar a pecúnia. Outros 117 servidores embolsaram mais de R$100 mil/mês.
No DF e Acre servidor ganha férias de 3 meses a cada 5 anos, e opta por receber isso em dinheiro, ao se aposentar. Já no setor privado…
O governador ganha R$24 mil, que é o teto do funcionalismo público no DF, mas mais de 1.000 servidores furam o teto e ganham mais.
Para cada 1 real que entra nos cofres do DF, 82 centavos vão para o bolso dos servidores. Em março, a folha totalizou R$1,7 bilhão.

A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

CONVERSAR COM O PRESIDENTE

Em Cannes, cacique Raoni diz que pretende falar com Bolsonaro sobre Xingu

Cacique Raoni MetuktireFoto: Loic Venance / AFP


Aos 87 anos, ele está no meio um giro de três semanas pela Europa para convencer políticos a apoiarem a sua causa

O cacique Raoni Metuktire, histórico líder caiapó, fez um apelo durante o Festival de Cannes para a construção de uma cerca verde de bambu em torno da reserva do Xingu, em Mato Grosso. "Não param de destruir o mato. Não é só o índio que vai morrer", disse na manhã deste sábado (25).
Aos 87 anos, ele está no meio um giro de três semanas pela Europa para convencer políticos a apoiarem a sua causa. Na quinta (16), ganhou o apoio da França após visita ao presidente Emmanuel Macron. Também teve um encontro com o príncipe Albert 2º, de Mônaco. E deve ter uma audiência com o papa Francisco, no Vaticano.
Em Cannes, na Rivera Francesa, Raoni caminhou pelo famoso tapete vermelho do festival de cinema ante da sessão do filme "Sibyl", de Justine Trier, e falou a um grupo de pessoas na cobertura de um hotel na cidade no dia seguinte. O evento foi organizado pela associação Forêt Vierge, da qual é presidente de honra junto do cineasta Jean-Pierre Dutilleux.
"Estou muito preocupado. Vocês têm que nos ajudar a criar a cerca. Se destruírem tudo, será difícil respirar. O Sol vai ficar mais quente. Os espíritos estão me dizendo. Deus está vendo 
Ao seu lado estavam outras três indígenas, seu assessor Bemoro Meturktire, a jovem liderança Tapy Yawalapiti e Kaiulu Kamaiurá, que representa as mulheres.
À reportagem Raoni disse que pretende falar com Bolsonaro quando voltar ao Brasil. "Tenho que explicar direitinho para ele", disse. "Os fazendeiros estão matando índio, os garimpeiros estão matando meus parentes. Estão acabando com a madeira e o mato vai acabar."
A turnê europeia de Raoni marca os 30 anos de sua famosa viagem com o roqueiro Sting, que deu a ele fama internacional e algum status pop. "Esta pode ser a última", segundo Dutilleux, etnólogo que o acompanha há quatro décadas.
"Precisamos de muito dinheiro nessa campanha. A reserva virou uma ilha verde em meio a fazendas de soja", afirmou o diretor e etnólogo belga. "Que Bolsonaro sinta compaixão em seu coração pelos índios."

Folhapress

RAQUEL DODGE

Dodge não está morta: nem amada nem temida


Sinais de que Raquel Dodge busca recondução inflamam MPF e intrigam senadores

A movimentação de Raquel Dodge para permanecer no comando da PGR ampliou sobremaneira a rejeição de parte da categoria ao nome dela.
 E a determinação do Congresso de, caso seja mesmo indicada, questionar minúcias dos compromissos que firmou com Jair Bolsonaro.
Senadores avisam que, se for reconduzida pelo presidente, Dodge terá que dizer em sabatina que tipo de encaminhamento daria à investigação de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), hoje a cargo do Ministério Público do Rio.

MOVIMENTAÇÃO DAS RUAS

Manifestação de hoje


Na manifestação de hoje, pode ocorrer tudo – inclusive nada. Mas é bom que Bolsonaro tome providências para aumentar sua popularidade: a última pesquisa XP (uma empresa de investimentos cujas pesquisas servem para orientar os investidores) aponta, pela primeira vez, que a avaliação “ruim ou péssimo”, 36%, supera a “ótimo ou bom”. 34%. Houve pequena queda da avaliação positiva, enquanto a negativa subia cinco pontos, embora a diferença esteja dentro da margem de erro (3,2 pontos percentuais).
Maus indícios
Outros indicadores, porém, mostram queda na popularidade do Governo.  O grupo que espera que daqui em diante o Governo seja ótimo ou bom caiu de 51% para 47%. Só 4% consideram satisfatório o andamento da agenda de Bolsonaro no Congresso. As opiniões se dividem quanto à responsabilidade da lentidão: para 35%, a culpa é conjunta, do Governo e do Congresso. Para 30%, a culpa é do Congresso. E só 20% põem a culpa apenas em Bolsonaro.

Coluna de Carlos Brickmann

DERROTA DE CUNHA

Eduardo Cunha: mais uma derrota na Justiça

Moreno faz falta hoje

Eduardo Cunha sofreu mais uma derrota na Justiça. A 13ª Câmara Cível confirmou sentença e negou recurso do presidiário contra o saudoso coleguinha Jorge Moreno por danos morais. Na decisão, o desembargador Agostinho Teixeira escreveu que o uso de adjetivos como “coisa ruim” é compatível com a “reprovável conduta” de Cunha.
Enquanto isso, veja a situação dos moradores da Ilha de Paquetá, no Rio. Ontem, todas as casas ficaram sem gás. Como a ilha não possui abastecimento pela CEG, o jeito é recorrer aos botijões. Só que ontem, a Delegacia de Serviços Delegados da Polícia Civil fez uma operação de recolhimento de todos os botijões. Segundo a inspeção, todos estavam estocados de forma inadequada. O resultado foi que mais de mil domicílios ficaram sem abastecimento, sem gás para cozinhar. O mesmo aconteceu com a escola que existe na ilha, com o atendimento hospitalar e nos bares.

Ancelmo Gois – O Globo

A BRONCA É O CENTRÃO

Choque entre centrão e governo


Traição no WhatsApp reacende choque entre centrão e governo
Grupo liderado por Rodrigo Maia diz que perdeu confiança em Bolsonaro

Um dos principais alvos das manifestações de rua marcadas para este domingo (26), o chamado centrão tem comandado as derrotas aplicadas no Congresso Nacional a Jair Bolsonaro (PSL) e, após o ensaio de uma aproximação, indica ter perdido a confiança no presidente da República.
Associado à velha e corrompida forma de fazer política pela ala mais ideologizada do governo, o grupo, que reúne cerca de 200 dos 513 deputados, tem avaliado agora que, não importa qual acerto faça com Bolsonaro, sempre será tratado como um ajuntamento de malfeitores pelo “bolsonarismo raiz”. 
Devido a isso, sustentam o parlamentarismo branco comandando por Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, e Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, e abriram mão de comandar duas pastas que seriam recriadas apenas para atender o grupo, Cidades e Integração Nacional.
reativação dos ministérios foi a última tentativa de acerto entre o centrão e Bolsonaro, mas a negociação ruiu e o grupo a usa como explicação de por que não pode confiar no presidente.
Segundo vários parlamentares ouvidos pela Folha, após o acerto, veio a público a informação de que Maia indicaria a pasta das Cidades o ex-ministro Alexandre Baldy (PP), hoje secretário do 
governo de São Paulo. 

Ranier Bragon – Folha de S.Paulo

COAF NA ECONOMIA

Uma outra visão da disputa pelo COAF


Traficantes, grandes sonegadores do Imposto de Renda, criminosos de colarinho branco e da lavagem de dinheiro deliraram, com a decisão da Câmara dos Deputados, que manteve o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) na estrutura do Ministério da Economia (ex-Fazenda). Certamente eles teriam uma vida mais dura e inclemente se o Coaf tivesse sido transferida para o Ministério de Justiça. Mas os políticos, temerosos da investigação sobre seus atos de corrupção, foram colocados na linha de frente deste embate. Um deles, um dos filhos do presidente da República.
Nenhum dos criminosos citados no início do parágrafo anterior queria ficar nas mãos do ministro da Justiça. Todos queriam o conforto e a falta de atenção do ministro da Economia. Mesmo criado no âmbito do Ministério da Fazenda, em 1998, o mais adequado sempre foi colocá-lo na Justiça. Afinal, quem dirige a Polícia Federal (PF) tem mais condições de trabalhar na “prevenção e combate à lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo”. São essas as competências do Coaf, segundo os seus artigos 14 e 15.

Apolo da Silva - Blog Os Divergentes

FAKE NEWS NAS ELEIÇÕES

Toffoli diz que fake news já fazem parte do processo eleitoral no país

Dias ToffoIi, presidente do Superior Tribunal Federal (STF)Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil


A declaração foi dada na noite dessa sexta-feira (24) no seminário Fake News

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que as informações fraudulentas já fazem parte do processo eleitoral em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil. A declaração foi dada na noite dessa sexta-feira (24) no seminário Fake News: Desafios para o Judiciário, organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, que debateu o papel da Justiça frente às notícias falsas, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo.

“Pesquisa realizada pelo Ideia Big Date e divulgada neste mês revelou que mais de dois terços das pessoas receberam fake news pelo Whatsapp durante a campanha eleitoral de 2018”, disse Toffoli ao classificar o fenômeno das fake news como abrangente e complexo. “Esse processo [de desinformação] pode colocar em risco os processos e os valores democráticos”.

Para o presidente do STF, esse ambiente também propicia o avanço do discurso de ódio. “São discursos que estimulam a divisão social a partir da dicotomia entre nós e eles e que remete ao fantasma das ideologias fascistas conforme explica Jason Stanley em obra extraordinária recente Como Funciona o Fascismo”, disse.

Toffoli disse que tudo isso polui o debate democrático em dois aspectos principais: primeiro o cidadão passa a formar sua opinião e se conduzir na democracia guiado por ilusões, por inverdades e a deturpação da realidade deturpa os caminhos da própria democracia; e, segundo, ultrapassada a fronteira do pluralismo, do embate construtivo de ideias e opiniões, a polarização extrema inviabiliza o diálogo.

Divulgação incontrolável

O ministro de STF Ricardo Lewandowski disse que houve uma divulgação “absolutamente incontrolável de fake news durante o período das eleições em 2018”. Para ele, o fenômeno é uma realidade com a qual a sociedade convive diariamente e deu exemplos de notícias falsas que circularam no país.

“Tivemos também o caso do kit gay, que foi amplamente divulgado, que o Ministério da Educação no Brasil teria disseminado nas escolas brasileiras um kit gay. O ministro da Educação teve que vir a público desmentir aquilo que era obviamente, a meu ver pelo menos, inverossímil”, citou. “Tivemos o caso da Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro brutalmente assassinada, que de repente foi acusada de estar envolvida com o tráfico de drogas”.

Em relação à influência das fake news em processos eleitorais, Lewandowski acredita que é preciso desenvolver instrumentos adequados para combatê-la. “Nós da Justiça Eleitoral e do Poder Judiciário deveríamos ter instrumentos para neutralizar a influência nefasta e negativa das fake news. Se a Justiça Eleitoral não estiver à altura de cumprir esse dever, é melhor fechar as portas e entregar a chave dos tribunais eleitorais aos partidos políticos”, disse.

O coordenador do Observatório da Liberdade de Imprensa da OAB, Pierpaolo Bottini, também falou sobre o uso das fake news com finalidade política nas eleições de 2018. “Exemplos revelam que nossa história tem uma intimidade com notícias falsas e revelam seu potencial de abalar as estruturas democráticas e revelam seu potencial para muitas vezes justificar medidas autoritárias”, disse.

Ao avaliar que o fenômeno das fake news não é novo no país, ele lembrou que a história está permeada de notícias falsas. “Em 31 de março de 1964, o [senador] Auro Andrade no Congresso Nacional declara vago o cargo de presidente da República porque seu mandatário supostamente não se encontrava no país, quando se sabia que o presidente da República se encontrava em território nacional. Podemos dizer, portanto, que uma fake news inaugurou o regime militar no Brasil, que foi encerrado, de certa forma, por uma tentativa desastrada de fake news no Riocentro, em 1981”.



Por: Agência Brasil

MEDIDA PROVISÓRIA 870

Conheça a reforma administrativa aprovada na Câmara dos Deputados

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco


A medida tem que ser aprovada até o dia 3 de junho para não caducar

O plenário do Senado deve votar nesta terça-feira (28) a Medida Provisória 870 (MP), que trata do redesenho administrativo do governo Bolsonaro. O texto foi aprovado na Câmara na semana passada e alterado pelos parlamentares, que decidiram devolver o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), hoje sob a responsabilidade do ministro Sergio Moro (Justiça), para o Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes.

A mudança do Coaf tem dividido os senadores. Se os parlamentares decidirem devolver o órgão para a pasta comandada por Sergio Moro, o texto da MP teria que voltar a ser apreciado pelos deputados. Para não correr o risco de ver a MP perder a validade, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a aprovação da medida da forma como foi votada pela Câmara dos Deputados. A medida tem que ser aprovada até o dia 3 de junho para não caducar. 

"[O Coaf] continua no Executivo, sem problema nenhum. Deve ser votada na semana que vem no Senado. No meu entender, deve aprovar o que foi votado na Câmara dos Deputados e vamos seguir em pautas mais importantes", disse Bolsonaro, durante transmissão ao vivo em sua página no Facebook.



Por: Agência Brasil 


POSSE DE ARMAS

Procuradoria diz que novo decreto das armas pode favorecer milícias

Alan Rommel, proprietário do clube de tiro Recife PistolFoto: Rafael Furtado/ Folha de Pernambuco


Para o órgão, em vez de sanar as irregularidades do decreto anterior, o novo documento 'agravou' algumas delas

O novo decreto sobre a posse e o porte de armas, assinado no dia 22 pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), é inconstitucional e pode favorecer milícias e outras organizações criminosas. A conclusão é da PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão), órgão que integra o MPF (Ministério Público Federal), e está em uma nota técnica encaminhada nesta sexta-feira (24) à procuradora-geral da República, Raquel Dodge.
Para o órgão, em vez de sanar as irregularidades do decreto anterior, o novo documento "agravou" algumas delas.
A nota técnica da PFDC vai auxiliar Dodge a elaborar o parecer que a PGR (Procuradoria-Geral da República) deverá apresentar no âmbito de uma ação que pede a suspensão do decreto no STF (Supremo Tribunal Federal).
No dia 7 de maio, Bolsonaro assinou o decreto 9.785/2019 que flexibilizou as regras para a compra e porte de armas em todo o Brasil. O decreto foi amplamente criticado por diversos setores da sociedade. Foram apontados problemas em pontos como a ampliação das categorias profissionais que poderiam ter acesso ao porte de armas e a possibilidade de que cidadãos comuns pudessem ter porte de fuzis.
Após a publicação do decreto, a Rede Sustentabilidade e outras entidades como o Instituto Igarapé entraram com uma ação pedindo a suspensão da validade das novas regras junto ao STF.
Pressionado, o governo publicou um novo decreto na última quarta-feira (22). O novo texto, que chegou com a promessa de resolver eventuais irregularidades do anterior, tirou a possibilidade de cidadãos comuns portarem (transportarem) fuzis semiautomáticos.
Para a PFDC, a mudança não é suficiente, porque o novo decreto continua permitindo que pessoas comuns tenham a posse de armas com grande potencial de destruição.
"É importante ressaltar que alguns fuzis semiautomáticos continuam sendo de posse permitida por qualquer cidadão, assim como espingardas e carabinas, pois são armas portáteis de uso permitido. Ou seja, qualquer pessoa poderá adquirir e manter em sua residência ou local de trabalho armas de alto potencial destrutivo. Apenas não poderá portá-las, ou seja, levá-las consigo fora dos referidos espaços privados", diz trecho da nota.
A PFDC afirma que o decreto assinado na semana passada passou a "falsa impressão" de que as irregularidades do anterior teriam sido sanadas, mas na avaliação dos procuradores, o texto continua representando uma "violação da separação de Poderes", na medida em que o órgão avalia que essas regras deveriam ter sido alteradas pelo Congresso Nacional.
Os procuradores também criticaram a ampliação do rol de pessoas que poderiam ter porte de arma em razão do exercício profissional. No decreto do dia 7, apenas advogados públicos poderiam ter acesso ao porte de armas.
Com o novo texto, todo e qualquer advogado poderá solicitar o porte. Essa mudança, segundo a PFDC, "perfaz um universo de mais de 1 milhão de pessoas, além dos proprietários de empresas de segurança privada e de transporte de valores, ainda que não participem da gerência do negócio".
Para a PFDC, o novo decreto é inconstitucional. "O novo decreto 9.797/2019, longe de rever essas inconstitucionalidades, ressaltou os vícios da regulamentação pelo decreto 9.785/19. Nenhum dos pontos suscitados pela PFDC/MPF foi sanado e, ao contrário, alguns outros foram agravados", diz um trecho.
A nota, assinada pela procuradora federal Deborah Duprat e pelo procurador Marlon Alberto Weichert, afirma que o decreto assinado por Bolsonaro cria "condições para a venda em larga escala e sem controle de munições e armas" e que isso "certamente facilitará o acesso a elas por organizações criminosas e milícias". O resultado, segundo os procuradores, seria o "aumento da violência no Brasil".
A posição da PFDC vai na contramão da argumentação entregue pelo governo ao STF.
Na última quarta-feira (22), a AGU (Advocacia-Geral da União), a consultoria jurídica do MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) e a SAJ (Subchefia para Assuntos Jurídicos) da Casa Civil entregaram pareceres ao STF contestando a versão de que o decreto publicado no dia 7 de maio seria inconstitucional.
Além disso, a AGU argumentou que, na medida em que o novo decreto teria eliminado eventuais "imprecisões técnicas", o recurso movido pela Rede deveria ser rejeitado.
O caso ainda deverá ser analisado pela ministra Rosa Weber, relatora do recurso. Ainda é preciso que a PGR envie a sua manifestação sobre o caso.



SANTA CRUZ - VITÓRIA DA SUPERAÇÃO

Após vencer na raça, elenco enaltece peso da camisa coral:' Santa Cruz é luta, superação'

Pipico e Misael foram os autores do gols da vitória coral (Foto: Leandro de Santana/Esp.DP)


Defendendo a raça do coletivo e a importância de vencer o primeiro jogo desta edição da Série C, os jogadores comentaram o resultado


A vitória do Santa Cruz em cima do ABC veio na iminência do apito final, mas aconteceu. No último lance da partida, o tricolor, que empatava mais uma vez, conseguiu reverter o cenário e virar o placar. Foi um triunfo fruto da insistência tricolor até o minuto final, literalmente. Defendendo a raça do coletivo e importância de vencer o primeiro jogo desta edição da Série C, os jogadores comentaram o resultado. 

"Futebol é merecimento. No jogo passado, todo mundo viu que não foi pênalti na bola do Carlos Renato. No jogo de hoje conseguimos vencer, de forma justa. O Santa Cruz é luta, como fala o torcedor. É o time das multidões. Os que estavam aqui nos empurraram até o fim. Merecemos esses três pontos", declarou o meia-atacante Everton em entrevista à Rádio Jornal na saída de campo.

Quem também enalteceu a vitória aguerrida do time coral foi o zagueiro William Alves. "Santa Cruz é superação, é não desistir até o final. Sabemos que ainda temos muito a melhorar na competição, mas era importante vencer a primeira partida para ganhar confiança e se consolidar na competição", declarou.

Apesar de não ter sido titular, Guilherme Queiroz saiu do banco de reservas para melhorar o rendimento técnico do Santa. Foi ele que sofreu o pênalti que fez o Tricolor fazer o gol de empate. Sobre o triunfo, ele afirmou: "Graças a Deus, conseguimos dar a volta por cima. Levamos o gol, mas insistimos. Pude sofrer o pênalti e ali empatamos. Depois teve a infelicidade do goleiro deles, mas alegria para nós. Agora temos que ter pés no chão para trabalhar mais forte ainda”, enfatizou.


Diario de Pernambuco

NÁUTICO - VALORIZANDO PONTO FORA DE CASA

Dal Pozzo valoriza ponto conquistado e explica substituição: 'A estratégia deu certo'

Duelo contra o Dragão foi o primeiro tropeço de Dal Pozzo no Timbu. (Foto: Léo Lemos/ CNC)


De acordo com o técnico, a estrutura do time permaneceu a mesma após troca


Após o empate em 1 a 1 diante do Confiança, neste sábado, pela quinta rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, o técnico Gilmar Dal Pozzo analisou que o Náutico foi superior durante um tempo e meio da partida e citou o gol legal feito pelo Timbu que a arbitragem não validou. Entretanto, mostrou-se satisfeito com o resultado, destacando a importância de ser regular na competição. Em três jogos sob o seu comando, o Timbu ainda não perdeu e foi vazado apenas uma vez. 

“Jogamos duas partidas fora e conquistamos quatro pontos (lembrando o duelo ante o Treze). Então a gente valoriza esse empate. Pontuar era importante. É um confronto direto. O primeiro tempo foi muito controlado, a única possibilidade do Confiança fazer gol era no contra-ataque. E nos contra-ataques eles estavam causando um certo perigo e a gente consertou no intervalo”, disse.

“Daniel (Paulista, técnico do Confiança) colocou jogadores de velocidade, então a gente encontrou dificuldades depois dos 20 minutos. Mas antes disso o jogo estava controlado e a gente esteve perto de fazer o segundo gol. No primeiro tempo a gente teve um gol mal anulado, uma bola na trave. Quando estivermos melhor, temos que buscar definir a partida”.

Mesmo tendo avaliado que a equipe foi bem na etapa inicial, o técnico Gilmar Dal Pozzo promoveu uma substituição no intervalo. Em crescimento desde a sua chegada, Matheus Carvalho saiu para a entrada de Danilo.

“Na verdade nós tínhamos um plano para esse jogo, diferentemente do jogo contra o Treze. E eu não queria mudar a maneira de jogar porque eu entendi que fomos superiores e era uma questão de tempo até fazer o gol. Então a estrutura da equipe permaneceu a mesma”, explicou.

“Deixando Luiz (Henrique) por dentro, colocamos Danilo, que tem bom passe, mais atrás. O Confiança baixou as linhas. E para romper essa linha precisávamos de um bom passe de Danilo, com Fábio (Matos) aberto e Luiz mais à frente. A estratégia deu certo porque houve essa movimentação. A bola estava entrando no Luiz, no Fábio. A gente tinha um plano de jogo e por isso eu mantive a ideia e as características dos atletas", concluiu.


Diario de Pernambuco

SANTA CRUZ - VITÓRIA IMPORTANTE

Técnico estreante Milton Mendes trata vitória como 'divisor de águas' para o Santa Cruz

Milton estreou no Santa em grande estilo: com vitória de virada (Foto: Leandro de Santana/Esp.DP)


Novo comandante coral enalteceu o elenco e mencionou o quanto esse triunfo foi importante para reerguer a equipe no aspecto moral


Em grande estilo, o técnico Milton Mendes fez sua reestreia no comando do Santa Cruz já com uma vitória, a primeira do Tricolor na Série C. Caracterizado por ser um treinador agregador de grupo, Milton parece ter injetado ânimo em um time que, há alguns jogos, estava com a autoestima baixa. Orgulhoso, o comandante coral enalteceu o elenco e mencionou o quanto esse triunfo foi importante para reerguer a equipe no aspecto moral.

“Quero coroar todo o trabalho que está sendo feito. Hoje foi um jogo de muita entrega e muita dedicação, estou muito orgulhoso desse elenco. Temos muito trabalho pela frente, alguns pontos a melhorar, mas na partida de hoje o importante foi a luta. Ninguém tem a obrigação de jogar bem, mas de se entregar e dar o melhor. Essa vitória foi um divisor de águas. O time entendeu que tem qualidade para vencer e acreditaram em si mesmo”, declarou o técnico em coletiva de imprensa pós-jogo. 

Com autoridade atribuída pela torcida e pela diretoria coral durante toda a semana, a expectativa e o incentivo dos tricolores em cima da figura de Milton foi grande. Ele comentou como se sentiu comandando sua primeira atuação. “Eu queria dizer o quanto eu estou honrado de estar aqui, o quanto essa direção trabalhou para me trazer. Sei que o momento do clube não é bom, mas o que mais importa não é como a competição começa, mas como ela acaba. Em todos os clubes que eu passei, dei a minha entrega absoluta. Eu estou dando o meu melhor, como se estivesse trabalhando no Real Madrid”, disse.

Ao falar das atuações dos atletas, Milton Mendes não destacou um atleta específico, mas fez questão de exaltar o coletivo. “Eu não olho para o rosto, eu olho do pescoço para baixo. Eu olho rendimento. Quem trabalha tem mais possibilidade de estar jogando. Mas nossos meninos foram hoje extraordinários. Claro que tivemos momentos de erros, mas o mais importante era vencer e nós conseguimos”, explicou.

“Os nossos jogadores são protagonistas e vi a ansiedade deles em busca do resultado. Tentei mostrar para eles que era fundamental estarmos equilibrados. As coisas aconteceram. Com a experiência que eu tenho, o meu feeling é bom. Eu sei quando temos um grupo bom e esse grupo é bom”, concluiu.


Diario de Pernambuco

SPORT - POUPAR TITULARES

Guto Ferreira assinala para a chance de poupar jogadores do Sport contra o Operário-PR

'Nós corremos risco de rodar um ou outro jogador. São partidas bem próximas', revelou o treinador.(Foto: Leandro de Santana/Esp. DP Foto)


Treinador colocou que irá esperar reapresentação dos jogadores para que seja feita a avaliação e se verifique quais atletas irão jogar em Ponta Grossa


Depois da vitória contra o Londrina jogando na Ilha do Retiro, o técnico Guto Ferreira sinalizou preocupação com o pouco tempo entre o jogo vencido pelo Sport em casa e seu próximo compromisso contra o Operário-PR, em Ponta Grossa. Sendo assim, para prevenir possíveis lesões, o treinador admitiu a possibilidade de poupar alguns jogadores do elenco na partida da próxima terça-feira.

"Nós corremos risco de rodar um ou outro jogador. São partidas bem próximas. Vai depender da reapresentação do grupo no domingo. Vamos ver a avaliação, as condições do CK (enzima que mede o risco de lesão muscular) para tomar uma posição sobre que são os 20 atletas que irão viajar e qual equipe começará o jogo", explicou Guto. 

Será a primeira vez nesta Série B que o Sport fará dois jogos em um espaço de tempo tão curto. Serão três dias de intervalo entre o jogo contra o Londrina e a partida ante o Operário-PR. Além disso, a equipe ainda precisará fazer o deslocamento o que aumenta o desgaste. 

Além deste possível revezamento, o Sport já conta com um desfalque garantido entre seus titulares. Trata-se do zagueiro Adryelson, que foi convocado para a Seleção Brasileira sub-23 para a disputa do Torneio de Toulon, na França, realizado entre os dias 1º e 15 de junho. 

Sendo assim, o defensor que já disputou 19 partidas pelo Sport no ano, desfalcará o Leão nas três últimas partidas da Série B até a pausa para a Copa América, contra Operário-PR (01/06), em Ponta Grossa, diante do Vitória (08/06), no Recife e, por fim, ante o CRB (11/06), também no Recife.


Diario de Pernambuco

CAMPEONATO BRASILEIRO

Náutico tem gol legal não validado e empata em 1 a 1 com o Confiança pela Série C

Náutico tem sete pontos em cinco jogos na Série C. (Foto: Léo Lemos/ CNC)


Timbu foi superior na maior parte do tempo, mas sofreu gol em desatenção; partida marca a queda dos 100% da equipe sob o comando de Dal Pozzo


O Náutico conheceu seu primeiro tropeço sob o comando do técnico Gilmar Dal Pozzo. Jogando no estádio Batistão, contra o Confiança, pela quinta rodada da Série C do Campeonato Brasileiro, o Náutico ficou no 1 a 1. A partida marcou também a primeira vez que a equipe foi vazada desde a chegada do novo técnico. O Timbu abriu o placar na etapa complementar com Luiz Henrique, mas sofreu o empate logo depois.

O Alvirrubro, diga-se, foi prejudicado por um erro do juiz. No início da partida, o goleiro do Dragão espalmou uma bola para dentro da própria meta, tendo a bola passado em sua totalidade pela linha. Gol legal que a arbitragem não viu. Nos 90 minutos, o Náutico foi superior, apesar da queda na etapa complementar. O Dragão só chegava em bolas aéreas - e assim saiu o gol, em desatenção da defesa.
 O Timbu volta a campo no próximo sábado, diante do Globo, no estádio dos Aflitos, às 17h50. Com sete pontos em cinco jogos, aguarda outros três jogos da rodada para saber sua classificação ao final. 

O JOGO
O Náutico não contou com Odilávio para a partida, que ficou de fora da delegação - motivo não informado pelo clube. No seu lugar, Fábio Matos foi escalado. Mais uma vez sem Assis, o volante Josa atuou improvisado no setor, novamente guardando posição na maior parte do tempo, sem avançar. Em crescimento após a chegada de Dal Pozzo, o meia-atacante Matheus Carvalho foi mantido na equipe.

A partida começou fria, mas o Timbu rapidamente comandou as ações. E poderia ter aberto o placar logo aos oito minutos. Não pela pressão que viria a colocar no adversário, mas por um erro grave do trio da arbitragem. Em falta de longa distância cobrada por André Krobel, o goleiro Jean espalmou para dentro da própria meta, tendo a bola passado em sua totalidade pela linha. Gol legal não validado.

O Náutico não demoraria a assustar. No lance seguinte, Wallace Pernambucano recebeu dentro da área e finalizou muito bem, mas acertou o travessão. Sofrendo a marcação do Confiança apenas no campo ofensivo, o Timbu tocava a bola pacientemente na defesa.

O Dragão apostava apenas em lançamentos, seja em ligações diretas a partir da defesa, escanteios ou até laterais alçados na área, mas Bruno não foi exigido nenhuma vez. O Náutico não sofreu sustos, estando bem postado na hora de recompor.

Com destaque, Matheus Carvalho. Participativo - ora aberto pela esquerda, ora centralizado para tabelar -, o jogador finalizou duas bolas perigosas. Assim como Thiago e Luiz Henrique arriscaram chutes de fora da área, exigindo boas intervenções do goleiro Jean. Etapa inicial terminou com o Náutico sendo superior.

SEGUNDO TEMPO
O Náutico voltou para a etapa complementar com mudança. Danilo Pires entrou no lugar de Matheus Carvalho. O ritmo da partida, porém, seguiu similar ao do primeiro tempo, com o Timbu dominando as ações e o Confiança apostando apenas em cruzamentos.

Entretanto, diferentemente da etapa inicial, o Timbu demorou a assustar o goleiro Jean. Mas, na primeira finalização, seria recompensado. André Krobel cobrou escanteio com capricho, no primeiro pau, e encontrou baixinho Luiz Henrique, que testou para o fundo das redes. Náutico na frente.

E o gol animou a equipe. Dois minutos depois, o Timbu voltou a levar perigo. Fábio Matos entrou na área e finalizou colocado, mas a bola passou raspando a meta de Jean.

Precisando vencer, o Confiança fez duas mexidas. E uma delas daria resultado, o atacante Bruninho. De tanto martelar em jogadas aéreas, o Dragão conseguiu seu gol. Em lateral cobrado diretamente na área, a defesa do Timbu cochilou e o jogador cabeceou para o fundo das redes.

O Náutico sentiu o gol. Sem conseguir manter a posse de bola, viu o Confiança crescer na partida e ter uma sequência de quatro escanteios - principal jogada do Dragão. Mas nestas, desta vez, a zaga esteve atenta.

Buscando a vitória e reagir no jogo, o técnico Gilmar Dal Pozzo fez duas alterações ofensivas. Wallace Pernambucano e Fábio Matos saíram para as entradas de Rafael Oliveira e Tarcísios Martins, respectivamente. Mas estas pouco surtiram efeito. Apesar do gol, o segundo tempo apresentou uma queda de rendimento da equipe.

FICHA DO JOGO
Confiança
Jean; Thiago Gomes, Vinicius Simon, Anderson e Altemar; Amaral, Everton, Rafael Villa e Italo (Thallyson); Tito e Ari Moura (Bruninho). Técnico: Daniel Paulista

Náutico
Bruno; André Krobel, Camutanga, Suéliton e Josa; Jiménez, Luiz Henrique, Fábio Matos (Tarcísio Martins); Matheus Carvalho (Danilo Pires), Thiago e Wallace Pernambucano (Rafael Oliveira). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Gols: Bruninho (C) ; Luiz Henrique (N)
Cartões amarelos: Thiago Ennes e Rafael Villa (C); Fábio Matos e Danilo Pires (N)
Local: Arena Batistão
Horário: 17h15
Árbitro: Jonathan Antero Silva (RO)
Assistentes: Fabio Pereira (TO) e Adenilson de Souza Barros (RO)


Diario de Pernambuco